TAP Air Portugal recebeu toda a ‘bolada’ prometida pelo governo

Receba as notícias em seu celular, clique para acessar o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

Depois de a TAP Air Portugal ter seu plano de reestruturação aprovado no parlamento português em 9 de dezembro e de tê-lo submetido à Comissão Europeia no dia seguinte, a data limite para envio, o governo português confirmou que concluiu os aportes prometidos na companhia para 2020.

Agora, nessa semana, o jornal ECO confirmou que o montante de $1,2 bilhão de euros foi aportado antes do fim do ano na companhia aérea, que agora ganha uma pressão extra por definir seus próximos passos e iniciar e o processo de reestruturação mais profunda, visando a torná-la uma empresa rentável.

O plano de reestruturação da companhia aérea prevê a demissão de até 500 pilotos e uma redução em 25% nos salários dos que permanecerem, o que causou indignação no sindicato dos pilotos, que espera uma redução de 500 pilotos. A TAP atualmente emprega um total de 1.468 pilotos, portanto, as demissões representariam 34% do efetivo.

Além disso, devido à redução da demanda na pandemia, a empresa também tem devolvido aeronaves e enviado outras para armazenagem. Nos últimos meses a movimentação na frota da empresa foi intensa. O exato número de aeronaves em negociação para devolução aos lessores não foi revelado.

Na frota de longo curso, a aposentadoria dos A330-200ceo já estava programada havia anos e, com a chegada de todos os A330-900neo, essa mudança deverá ser acelerada, mantendo apenas um tipo de avião de dois corredores (widebody) na frota.

Já como uma empresa gerida pelo estado, a TAP ainda precisará de aportes para maner seu fluxo de caixa, num montante total de €3 bilhões, o equivalente a R$ 18 bi em valores atuais, a serem usados nos próximos quatro a cinco anos. É esperado que em 2025 a empresa deve retornar a ter lucro, já o EBIT (resultados antes de juros e impostos) deve ser positivo já em 2023.

Nota: “bolada” significa “ganha quantia de dinheiro” no jargão popular de várias regiões do Brasil.

Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias

Boeing celebra venda de 15 jatos 737 MAX para empresa...

0
A Boeing e Dubai Aerospace Enterprise (DAE) anunciaram hoje (20) que o locador de aeronaves está aumentando seu portfólio 737 MAX