TAP Express pode ter aviões maiores por falta de espaço em Lisboa

O brasileiro e presidente da TAP Air Portugal, Antonoaldo Neves, disse ao governo português que a empresa pode se ver obrigada a aumentar a capacidade da sua subsidiária regional para suprir a falta de infraestrutura no Aeroporto de Lisboa.

Embraer E190 é o maior avião atualmente na TAP Express




O Aeroporto Internacional de Lisboa está operando acima da sua capacidade, causando verdadeiros congestionamentos que resultam em diversos atrasos: média de 37 voos por dia atrasados apenas da TAP.

Pudemos comprovar isto meses atrás quando voamos no A330neo de Lisboa a São Paulo: chegamos tarde na aeronave por falta de ônibus, já que o avião estava no pátio de estacionamento (remota). Mesmo após chegarmos, fazermos um tour externo pela aeronave e nos acomordarmos, ainda tivemos que esperar mais meia hora até o push-back.

“Se não conseguir mais slots em Lisboa tenho que aumentar o avião, pelo menos transporto mais passageiros. O problema de pontualidade em Portugal é crônico, se as restrições de capacidade em Lisboa não forem resolvidas não vou poder ter Embraer, porque vou ter que aumentar a capacidades dos voos”, declarou Antonoaldo.

Trocar a frota trará maiores custos e consequente aumento na passagem: o custo do leasing de um Airbus A319 ou Boeing 737-700 é consideravelmente mais alto, será necessário treinar toda a tripulação técnica e comercial, que deverá receber maiores salários pelo equipamento ser maior.

Além disso tem o prejuízo para o passageiro: além da passagem mais cara, as frequências não poderão ser aumentadas ou serão até reduzidas devido à falta de infraestrutura do Aeroporto de Lisboa.

A TAP não sobrevive sem pontualidade porque é uma companhia de conexão e quem perde a sua conexão não voa mais na TAP. Sem conectividade o cliente pode ir pela Espanha”, conclui Antonoaldo.

A companhia portuguesa é a grande porta de entrada na Europa principalmente para passageiros do Brasil e da África, onde por razões históricas tem uma grande presença. A conexão rápida em Lisboa na rota para o destino final e numa companhia que fala a língua nativa é um grande bônus para diversos viajantes.

E a concorrência tenta captar esse mercado: a Air Europa expande rápido pela América Latina e a Iberia já introduziu na região a sua subsidiária low-cost LEVEL. Não muito distante, a Cabo Verde Airlines vai dando passos para um hub na Ilha do Sal, no meio da travessia do Atlântico.

A TAP Express opera atualmente com aeronaves ATR 72-600 para 70 passageiros e Embraer E190 levando 106 passageiros. As aeronaves pertenciam à brasileira Azul, sendo repassadas à TAP em meio à crise brasileira e à demanda pela renovação da frota da Portugália e White Airways.

Como é voar no Airbus A330neo da TAP durante um voo de certificação

Com informações do periódico português Jornal de Negócios.

Carlos Martins

Despertou a paixão pela aviação em 1999 em um show da Esquadrilha da Fumaça. Atualmente é Piloto Comercial, Despachante, Bacharel em Ciências Aeronáuticas, membro da AOPA e veterano da Western Michigan University #GoBroncos