Início Empresas Aéreas TAP planeja demitir até 500 pilotos e reduzir salários em sua reestruturação

TAP planeja demitir até 500 pilotos e reduzir salários em sua reestruturação

Segundo reportam variados sites portugueses desde a última sexta-feira, 27, o plano de reestruturação da companhia aérea TAP Air Portugal, a ser submetido à Comissão Europeia até o dia 10 de dezembro, prevê a demissão de até 500 pilotos e uma redução em 25% nos salários dos que permanecerem.

A informação foi divulgada pelo Sindicato dos Pilotos da Aviação Civil (SPAC) após reunião com a administração, numa comunicação aos seus associados a que a agência Lusa teria tido acesso.

A direção do SPAC diz que durante reunião na sexta-feira com a administração da TAP foi apresentada a intenção de a empresa “reduzir vencimentos em 25% e de despedir 500 pilotos TAP”. A TAP atualmente emprega um total de 1.468 pilotos, portanto, as demissões representariam 34% do efetivo.

Para 2021, segundo a mesma fonte, a administração pretende contratar 15 pilotos para a Portugália, a divisão de voos regionais da companhia aérea.

“Questionados o PCA [presidente do conselho de administração] e o CEO [presidente executivo] sobre os fundamentos para tal anúncio, em especial os critérios para as demissões, a resposta não foi concretizada, com o argumento de que ainda é cedo para falar nisso”, afirma o documento do Sindicato acessado pela Lusa.

“Depois de muitas semanas em que manifestamos a nossa disponibilidade para colaborar na definição dos pressupostos técnicos, econômicos e financeiros para as medidas de reestruturação, a resposta surpreendente veio sob a forma de uma percentagem de cortes nos vencimentos e de um número de pilotos da TAP a dispensar sem qualquer justificação ou critério”, lamenta a direção do sindicato.

O SPAC ainda diz entender que este projeto de plano constitui uma flagrante violação dos princípios morais e éticos que devem nortear a atuação da administração e da gestão da TAP S.A. e apresenta graves ilegalidades face àquilo que a lei impõe como consulta aos representantes dos trabalhadores em situação de reestruturação.

O plano de reestruturação da TAP tem que ser apresentado até 10 de dezembro em decorrência de uma exigência da Comissão Europeia pela concessão do empréstimo do Estado português, para fazer face às dificuldades da companhia decorrentes do impacto da pandemia de Covid-19 no setor da aviação.