TAP apresenta resultados do 1º semestre de 2020; prejuízo foi de 582 milhões de euros

Receba as notícias em seu celular, clique para acessar o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

A Grupo TAP emitiu um comunicado ao mercado nesta segunda-feira, 28 de setembro, apresentando seus dados operacionais e financeiros referentes ao primeiro semestre de 2020.

Avião Airbus A330-200 TAP Air Portugal
Imagem: Aero Icarus from Zürich, Switzerland / CC BY-SA

Antes da declaração de pandemia, todos os principais indicadores de atividade da TAP evoluíam de forma muito positiva, seguindo a tendência já observada no segundo semestre de 2019. Os meses de janeiro e fevereiro de 2020 registaram os seguintes resultados:

• Aumento de 280 mil passageiros, ou 13,4%, em relação a igual período do ano anterior, totalizando 2,4 milhões de passageiros transportados;
• Load Factor (taxa de ocupação) de 74,7%, aumento de 1,9 pontos percentuais em relação aos dois primeiros meses de 2019;
• Receitas de passagens de 411 milhões de euros, aumento de 71 milhões em relação ao acumulado de janeiro e fevereiro do ano anterior;
• Margem EBITDA acumulada de janeiro e fevereiro de 5,1%, aumento de 12,9 pontos percentuais em relação ao acumulado dos dois primeiros meses de 2019.

O bom resultado dos dois meses inicias, somado ao reforço de caixa ocorrido no final de 2019 e ao alongamento do perfil de maturidades da dívida concretizado em fevereiro de 2020, permitiu assegurar uma posição forte de caixa que foi fundamental para a TAP fazer face aos primeiros impactos da redução drástica da atividade.

A pandemia da Covid-19 trouxe forte quebra da atividade, que impactou nos resultados acumulados do primeiro semestre apesar da rápida e eficiente reação da TAP. O consolidado do semestre ficou assim:

• Redução de 4,9 milhões de passageiros transportados, uma queda de 62%, em relação ao total de passageiros transportados no primeiro semestre de 2019;
• Redução de 730 milhões de euros em receitas de passagens, uma queda de 57,2% nos primeiros seis meses de 2020 em relação ao mesmo período do ano anterior;
• Diminuição de gastos operacionais em 460 milhões de euros, menos 30% em relação ao primeiro semestre de 2019;
• Consumo de caixa diário reduziu-se em aproximadamente 50% entre o mês de abril e o mês de junho de 2020, reflexo das iniciativas implementadas com o objetivo de conter o impacto da pandemia;
• Margem EBITDA caiu para -20%, 28,7 pontos percentuais abaixo do verificado no primeiro semestre de 2019;
• Resultado líquido negativo de 582 milhões de euros no primeiro semestre de 2020, agravado pelo impacto da contabilização de custos de excesso de cobertura (overhedge) de jet fuel no valor de 136,3 milhões de euros e diferenças de câmbio líquidas negativas de 58,0 milhões de euros, parte dos quais sem impacto em tesouraria.

Tabela dados operacionais e financeiros TAP Air Portugal 1 Semestre 3020
Fonte: TAP

A TAP informa que atuou com agilidade e rapidez aos primeiros sinais de impacto da pandemia, adequando a capacidade ao novo cenário de procura e minimizando assim os custos operacionais com o objetivo de preservação de caixa.

Foram tomadas diversas medidas adicionais para preservar a liquidez e o futuro de longo prazo da Empresa, nomeadamente medidas de controle e de redução de custos, suspensão ou adiamento de investimentos não críticos e renegociação de contratos e prazos de pagamento.

Estas medidas permitiram à TAP manter liquidez suficiente até à concretização do auxílio de Estado, no montante de até 946 milhões de euros (ao qual poderá acrescer um montante adicional de 254 milhões de euros, sem que, contudo, o Estado Português se encontre vinculado à sua disponibilização), que em paralelo com o plano de reestruturação cuja preparação se encontra em curso, visa garantir à TAP a continuidade do negócio e a consolidação da sua atividade e resultados.

O desempenho financeiro e operacional da TAP no primeiro semestre de 2020 foi severamente impactado pela contração da procura e redução de atividade a partir de março de 2020 em resultado da pandemia Covid-19.

A Covid-19 causou enormes prejuízos a toda a economia e à indústria de transporte aéreo em particular, com a TAP S.A. registando, conforme você viu acima, um resultado líquido consolidado negativo de 582 milhões de euros no primeiro semestre de 2020, o que representa 96% do resultado líquido do primeiro semestre do Grupo TAP, que foi negativo em 606 milhões de euros.

A TAP destaca que está conduzindo uma retoma segura e sustentável da sua operação, à medida que a demanda a permite e que as restrições vão sendo levantadas ou minimizadas.

Informações oficiais da TAP

Receba as notícias em seu celular, clique para acessar o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

Murilo Bassetohttp://www.aeroin.net
Formado em Engenharia Mecânica e Pós-Graduando em Engenharia de Manutenção Aeronáutica, possui mais de 6 anos de experiência na área controle técnico de manutenção aeronáutica.

Veja outras histórias