Tarifas aeroportuárias de Galeão e Confins serão reajustadas

Aeroporto internacional do Rio de Janeiro – Galeão

A Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) autorizou os reajustes dos tetos das tarifas aeroportuárias nos terminais de Galeão, no Rio de Janeiro, e Confins, em Belo Horizonte. As portarias nº 4981 e 4982 foram publicadas Diário Oficial da União (DOU) na terça-feira, 11.

Os tetos das tarifas de embarque e conexão de passageiros e de pouso e permanência de aeronaves serão reajustados em 7,5066% para o aeroporto de Galeão e em 7,3145% para o aeroporto de Confins. Os tetos das tarifas de armazenagem e capatazia de cargas de ambos os aeroportos foram reajustados em 6,7593%.

Os reajustes foram aplicados sobre os tetos estabelecidos em 8 de maio de 2020, considerando a inflação acumulada entre abril de 2020 e abril de 2021, medida pela variação do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), do IBGE, observada no período.

Com a alteração, a tarifa máxima de embarque doméstico paga pelos passageiros passará de R$ 32,84 para R$ 35,30 para o aeroporto de Galeão e de R$ 32,62 para R$ 35,00 para o aeroporto de Confins.  Por sua vez, a tarifa máxima de embarque internacional passará de R$ 58,15 para R$ 62,52 para o aeroporto de Galeão e de R$ 57,76 para R$ 61,99 para o aeroporto de Confins, conforme tabela abaixo.

A ANAC ressalta que os novos valores poderão ser praticados somente 30 dias após a divulgação pelas concessionárias. As tarifas aeroportuárias são valores pagos à concessionária pelas companhias aéreas, pelo operador da aeronave ou pelo passageiro.

Essas tarifas correspondem aos procedimentos de embarque, conexão, pouso, permanência, armazenagem e capatazia dentro dos aeroportos. A tarifa de embarque é a única paga pelo passageiro e tem a finalidade de remunerar a prestação dos serviços, instalações e facilidades disponibilizadas pela concessionária aos passageiros.

Os reajustes estão previstos nos contratos como mecanismo de atualização monetária e têm como objetivo preservar o equilíbrio econômico-financeiro estabelecido nos contratos de concessão.

Informações da ANAC

Fabio Farias
Jornalista e curioso por natureza. Passou um terço da vida entre aeroportos e aviões. Segue a aviação e é seguido por ela.

Veja outras histórias

Como num porta-aviões, um toque a arremetida no Santos Dumont visto...

0
A arremetida em porta-aviões é sempre chama a atenção pela rapidez que acontece, e não é muito diferente no Aeroporto Santos Dumont.