Início Empresas Aéreas As taxas mais absurdas cobradas pelas companhias aéreas ‘low cost’

As taxas mais absurdas cobradas pelas companhias aéreas ‘low cost’

Atualmente, existem muitas companhias aéreas no mundo inteiro que são chamadas de ‘low cost’. Essas empresas entraram no mercado para concorrer, basicamente, com outros modais de transportes, como o rodoviário, ferroviário e até o naval.

Imagem: Michael Oldfield / CC BY-SA 4.0, via Wikimedia Commons

As viagens através dos modais alternativos à aviação tendem a ser mais baratas no mundo inteiro, separando basicamente as pessoas mais abastadas da classe econômica, que fazem suas viagens de avião, das pessoas menos abastadas, que buscam outros meios de transportes mais lentos, porém mais econômicos para se transportar.

O conceito de companhia aérea ‘low cost’, ou seja, que tem custos operacionais muito reduzidos para poder oferecer passagens mais baratas, chegou no mercado justamente para trazer esses passageiros de classes econômicas menores para dentro do avião, com passagens mais em conta e concorrendo diretamente com os outros modais de transporte. (Nota: vale lembrar que o modelo ‘low cost’ também passou a ser usado para a companhia ter maior margem de lucro, sem redução de preço ao cliente, mas nesta matéria não nos referimos a este grupo de empresas).

Mas o passageiro desavisado, que procura sua passagem aérea apenas pelo preço, pode ter diversas surpresas durante sua viagem em uma empresa ‘low cost’. Em contra-partida ao preço mais baixo, a empresa também não oferece um serviço completo incluso no valor da passagem, como muitos dos passageiros estão acostumados a receber em companhias aéreas tradicionais, e esse fato pode ser extremamente frustrante e arruinar a experiência de voo.

Muitas vezes as taxas de despacho de bagagens são muito caras, a companhia não oferece um serviço de bordo gratuito ou cobra para a escolha do assento. Diversas taxas podem aparecer durante a experiência de viagem do passageiro, podendo até se aproximar do valor de uma passagem das companhias aéreas que oferecem todo o serviço incluso.

E diante dessa situação, o Traveller montou uma lista mostrando as taxas mais absurdas cobradas por empresas aéreas no mundo, e a seguir você acompanha os casos específicos das companhias ‘low cost’ para exemplificar como elas podem faturar durante a viagem, mesmo após o passageiro já ter pago a passagem.

Spirit

Imagem: Adam Moreira / CC BY-SA 4.0, via Wikimedia Commons

É muito natural uma empresa aérea cobrar uma taxa para reservas feitas pelo telefone, mas a companhia americana Spirit cobra uma taxa de US$ 20,99 (cerca de R$ 112) para fazer reservas online. A única forma de evitar a taxa é ir pessoalmente até o aeroporto e comprar sua passagem.

Jetstar

A Jetstar Airways, braço ‘low cost’ da gigante Qantas, ambas australianas, cobra uma taxa de 50 dólares australianos (cerca de R$ 200) para remarcação de passagens. Até aí nenhuma novidade, pois muitas empresas tradicionais cobram tal taxa. Mas a pegadinha vem quando, junto ao valor cobrado pela remarcação, vem outra taxa de administração de mais 50 dólares australianos, sendo, muitas vezes, o valor das taxas combinadas maior que o valor da própria passagem.

AirAsia

Imagem: Ashabul Yamin Bin Syarbini / Domínio público

Muitas empresas fiscalizam a bagagem de mão através do tamanho, não exigindo que o passageiro faça a pesagem. Não é o caso da AirAsia. A companhia asiática limita a mala de mão a, no máximo, 7 kg e, caso esteja acima do peso, exige que a mala seja despachada, cobrando uma taxa de US$ 65 (cerca de 350 reais).

Wizzair

Quase todas as companhias aéreas permitem o despacho do carrinho de bebê e do bebê conforto quando o passageiro está viajando com uma criança de colo. Não é o caso da Wizzair, companhia aérea do leste europeu. Ela aceita despachar apenas o carrinho de bebê, enquanto o bebê conforto entra na franquia de bagagem permitida pela empresa. Dado que custa 57 euros (cerca de 365 reais) para despachar uma mala de 10kg na companhia, a conta pode aumentar muito no caso do passageiro desavisado.

Ryanair

Imagem: Ryanair

A empresa ‘low cost’ irlandesa Ryanair, famosa por passagens muito baratas, mas também por suas absurdas taxas, cobra incríveis 115 euros (cerca de 736 reais) para trocar o nome da sua reserva, caso você tenha escrito o nome errado na hora de fazer a reserva online.

Southwest

Imagem: Tomás Del Coro / CC BY-SA 2.0, via Wikimedia Commons

A americana Southwest cobra uma taxa de US$ 50 (cerca de R$ 270) para ter o direito de saber com antecedência em qual assento você vai se sentar no voo. Caso o passageiro opte por não pagar tal taxa, escolherá o assento no momento do embarque mediante ordem de chegada a bordo.

Agora, para terminar a lista em grande estilo, voltamos para à Ryanair, que cobra uma taxa de 55 euros (cerca de 352 reais) para fazer um simples check-in no aeroporto. O passageiro pode fugir dessa taxa realizando o check-in pela internet. Porém, se ele esquecer de imprimir o código de barras ou não estiver claro para leitura eletrônica, a empresa oferece a reimpressão do cartão por 20 euros (cerca de 130 reais).

Dadas as informações acima, é muito importante se informar antes de comprar uma passagem para saber se realmente aquele preço vale a pena. É muito frustrante fazer um planejamento financeiro de uma viagem e arcar com gastos dessa grandeza sem tê-los planejado.

Apaixonado por aviação desde o berço como filho de comissário de bordo, realizou o sonho de criança se tornando comissário em 2011 e leva a experiência de quase 10 anos no mercado da aviação. Formado Trainer em Programação Neurolinguística, conseguiu unir suas duas paixões, comunicação e aviação.
Sair da versão mobile