Transporte global de carga aérea recupera níveis pré-COVID

Receba essa e outras notícias em seu celular, clique para acessar o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

Avião Airbus A380 Emirates Cargueiro
Imagem: Emirates

A Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA) divulgou nesta terça-feira, 2, que, pela primeira vez, desde o início da crise da aviação mundial, o transporte aéreo de cargas registrou números similares ao do período pré-pandemia. A demanda em janeiro de 2021 mostrou forte crescimento em comparação aos níveis de dezembro de 2020.

A IATA usou como base de comparação os números registrados em janeiro de 2019, já que o mesmo mês no ano passado já era afetado pela pandemia de COVID-19. Dessa forma, é possível ter um panorama dos dados atuais em relação a um período de viagens em condições normais de tráfego e sazonalidade.

Segundo esses critérios, a demanda global por carga aérea em janeiro desse ano aumentou 1,1% em comparação com janeiro de 2019. Em relação a dezembro de 2020, o crescimento da demanda foi de 3%. Todas as regiões do planeta registram melhora de um mês para outro, com destaque para a América do Norte e para África.

Contudo, com um menor número de aeronaves de passageiros voando, houve queda no potencial de transporte de cargas. A capacidade encolheu 19,5% em relação a janeiro de 2019 e caiu 5% em relação a dezembro de 2020, a primeira queda mensal desde abril de 2020. Já o índice de ocupação das aeronaves melhorou 12 pontos percentuais e fechou o mês em 58,9% de ocupação média.

Para o Diretor Geral e CEO da IATA, Alexandre de Juniac, o retorno aos níveis anteriores à crise é uma boa notícia para a economia global, mas as limitações de capacidade impostas pela redução de circulação de aeronaves de passageiros é um ponto de atenção para lideranças nacionais. “Isso deve ser um sinal para os governos compartilharem seus planos de reinicialização econômica para que o setor tenha clareza sobre quando mais capacidade poderá ser colocada no ar”, disse o executivo.

“Em tempos normais, um terço do comércio mundial de alto-valor se move por via aérea. Este segmento é vital para ajudar a restaurar as economias danificadas pela COVID 19, sem mencionar o papel crítico que a carga aérea está desempenhando na distribuição de vacinas que salvam vidas, que devem continuar no futuro previsível”, conclui de Juniac.  

Janeiro/2021% de mercadoDemandaCapacidadeOcupação (Variação)Ocupação total
Mercado Total100,0%1,1%-19,5%12,0%58,9%
África2,1%21,1%-10,9%12,7%48,0%
Ásia-Pacífico32,8%-6,8%-29,4%16,1%66,5%
Europa22,2%-0,4%-19,9%12,262,7%
América latina2,4%-14,2%-30,7%7,5%39,0%
Médio Oriente13,1%6,0%-17,3%12,5%56,9%
América do Norte27,4%11,7%-6,8%8,8%53,2%

Informações da IATA

Fabio Farias
Jornalista e curioso por natureza. Passou um terço da vida entre aeroportos e aviões. Segue a aviação e é seguido por ela.

Veja outras histórias

Com indicação de porta aberta, Boeing 777 é obrigado a voltar...

0
Um Boeing 777 da British Airways acabou tendo que retornar para a sua origem após a tripulação receber uma indicação de porta aberta.