Após lamentável incidente, empresa aérea proíbe cães da raça Pug em voos

A companhia aérea australiana Qantas anunciou que suspendeu o transporte de cachorros da raça Pug em suas operações após um triste incidente.

Pug
Foto de DodosD via Wikimedia Commons

Durante um voo da Qantas na Austrália, um Pug, a adorável espécie reconhecida pelo seu nariz achatado, teve complicações respiratórias a bordo, chegando a óbito.

Após apurar os fatos, a companhia aérea australiana tomou a decisão de suspender temporariamente por duas semanas o transporte dos cachorros dessa espécie a bordo de suas aeronaves, até que possa implementar completamente novas políticas.

As condições durante o voo podem ser bastante traumáticas para um animal, especialmente se o mesmo tiver dificuldades para respirar. Soma-se ainda o stress pelas condições em que são transportados em gaiolas no porão de cargas, podendo até sofrer de desidratação durante a viagem.

Apesar da suspensão apenas do Pug, os animais que correm grande risco são as raças de cães de nariz achatado, como Bulldog Francês, Boxer, Pequinês, Bulldog Inglês, Shih Tzu, Dogue de Bordeux e Boston Terrier. Esses cães são muito suscetíveis a mudanças nas condições e temperatura do ar.

Em quais condições eles podem voar?

Voar com esses cães pode ser complicado, a menos que a companhia aérea permita que o animal voe na cabine de passageiros, ou que, caso não permita, aceite sob alegação que é um animal de apoio emocional.

Para a Qantas, foi uma decisão muito difícil a ser tomada, já que esses tipos de cães são imensamente populares. Mas, infelizmente, devido a seus sistemas respiratório e problemas de respiração, o risco é ainda maior em condições de calor intenso típico do verão australiano.

Depois da morte do cãozinho que voava com sua família para outra cidade no país, a Quantas busca uma maneira de ajudar a reduzir os riscos inerentes a essas raças específicas.

Quais são as novas políticas?

As novas políticas em implantação pela Qantas são:

  • Exigir que todos os cães de espécies de nariz achatado sejam liberados para voar por um veterinário antes da viagem;
  • A Qantas recomenda a contratação de empresas especializadas no transporte de animais, que possuem veterinários com base nos principais aeroportos;
  • A empresa busca reforçar os procedimentos existentes de transporte dos cães entre o terminal até a aeronave, minimizando o tempo e a permanência dos animais no pátio de aeronaves antes de serem embarcados;
  • Os animais devem ser transportados a temperatura ambiente de 20ºC o tempo todo e a viagem poderá ser remarcada gratuitamente durante condições climáticas extremas de calor.

Apesar de algum aumento de burocracia a ser enfrentado pelos donos dos animais, as melhorias por parte da Qantas são bem-vindas e essas políticas devem ajudar a evitar mais danos aos amigos peludos.

Veja outras histórias

Esquadrilha da FAB participa do Campeonato Brasileiro de Voo em Planadores

0
Uma equipe de Oficiais e Cadetes Aviadores integrantes da Esquadrilha de Voo a Vela (EVV) da Academia da Força Aérea (AFA) participou