Trump “dá aula” sobre o Boeing 747 e fala como economizou na compra do novo avião

O Presidente dos EUA, Donald J. Trump, falou ontem em New Hampshire sobre como o novo Air Force One é diferente do atual e como conseguiu economizar bilhões na sua compra.

Faltando menos de 10 dias para as eleições, Trump continua realizando comícios em diversos estados, em locais abertos e muita das vezes na beira da pista do aeroporto, como foi o caso em New Hampshire.

Dessa vez, o presidente americano desceu do Boeing 747-200, chamado de “Air Force One” quando o presidente está a bordo, e foi direto para o palco logo à frente, ainda no pátio do aeroporto.

Como pode ser visto no vídeo acima da NBC News (espere carregar, é possível ativar as legendas), durante a parte inicial do discurso, Trump olhou para o avião e decidiu contar um pouco e de forma descontraída sobre como economizou dinheiro na compra do seu substituto.

Ele então voltou-se ao General Charles Q. Brown Jr., o Chefe de Estado Maior da Força Aérea dos EUA e perguntou o quanto custariam os dois novos 747-8i, futuros aviões presidenciais. Trump então demonstrou surpresa “ao saber” que eles tinham um preço original de $5.7 bilhões de dólares.

“Você deve estar brincando. Meus amigos compram jatos Gulfstream por $78 milhões, isso nem paga o motor do avião”, disse o presidente, reclamando do preço alto do contrato. De início, Trump admitiu que queria cancelar, mas o General Charles afirmou que haveria de considerar uma multa de $250 milhões.

Então, Trump disse que “usou-se de suas estratégias de negociação” e ligou para Dennis Muilenburg, então CEO da Boeing. Ele reclamou do preço e disse que não ia levar, mas pediu para não cancelar o contrato e realocar os montantes a outros aviões da Força Aérea.

Presidente Trump e Dennis durante a apresentação do 787-10 Dreamliner – Prefeitura de North Charleston

Diante do preço, Trump argumentou com Muilenburg que iria reformar o avião atual e continuar com ele, mas o presidente da Boeing se mostrou disposto a negociar. Após dois meses de dura negociação, o preço do contrato saiu de $5.7 bilhões para $3.95 bilhões, incluindo a adição de um gerador extra ao pacote. Dito isso, Trump se vangloriou por ter economizado quase $2 bilhões.

Apesar da negociação, Trump disse que dificilmente poderia comprar o novo Air Force One na Europa (da Airbus), pois entende que ela não teria um “avião equiparável”, em uma provocação clara à Airbus.

Por fim, o presidente deu uma engraçada explicação ao público, quando comparou do seu jeito o atual avião ao futuro 747, querendo fazer as pessoas “visualizarem” que o novo avião é bem maior, tem um segundo andar mais comprido, envergadura maior e novos motores.

Carlos Martins
Fascinado por aviões desde 1999, se formou em Aeronáutica estudando na Cal State Long Beach e Western Michigan University. Atualmente é Editor-Chefe no AEROIN, Piloto de Avião, membro da AOPA, com passagens pela Avianca Brasil e Azul Linhas Aéreas. #GoBroncos #GoBeach #2A

Veja outras histórias