Trump provoca gastura ao dizer que empresas aéreas estão em “boa forma”

Receba as notícias em seu celular, acesse o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

Todos os dias, a Transportation Security Administration (TSA) dos Estados Unidos atualiza seu site na internet, em que mostra a quantidade de passageiros que passaram pelos aeroportos do país. Ainda ontem, os dados do órgão apontavam para uma queda de mais de 93% do fluxo de pessoas, num momento em que as empresas falam de cortes e redução de frota, mas o presidente Donald Trump deixou o setor de “cabelo em pé” ao dizer que a aviação está em “boa forma”.

A declaração de Trump aconteceu durante uma reunião com governadores nesta quinta-feira (14), onde discutia-se a possível reabertura da economia americana. Recentemente, as empresas aéreas americanas haviam se pronunciado dizendo que o pacote de estímulos do governo ajudava, mas não seria suficiente para curar o setor.

Nesse momento, todas as grandes empresas do país estão reduzindo de tamanho, demitindo e devolvendo aeronaves. Somente a United Airlines deve reduzir sua força de trabalho em 30% a partir de outubro.

Além disso, entidades do setor, executivos e especialistas não acreditam numa retomada tão rápida, pelo contrário, espera-se que o setor aéreo somente retorne a níveis pré-crise dentro de dois a três anos. Mas, ainda assim, o presidente Trump deixou todos com uma “pulga atrás da orelha” após dizer que tudo parece bem.

No vídeo acima, um jornalista questiona Trump sobre como ele avalia a confiança do público americano em viajar de avião.

E ele então responde assim:

“Eles têm muita confiança. Confiança em nós e nas companhias aéreas. Salvamos as companhias aéreas com US$ 25 bilhões e outros US$ 25 bilhões (referindo-se ao apoio à Folha de Pagamento e aos subsídios). Temos companhias aéreas que agora estão em boa forma, obviamente elas vão ter que lidar com essas questões de tarifas e assentos. O setor de aviação está em boa forma. Conseguimos salvar o setor aéreo, o que seria devastador se isso não acontecesse. Então, eles estão em boa forma”.

Como uma parte desses estímulos, que somam US$ 50 bi, somente duram até setembro, deveremos ver demissões em massa depois disso, sobretudo pela expectativa de recuperação lenta da demanda. Desta forma, nós avaliamos que as empresas podem até estar preparadas para lidar com o que vem daqui para frente, mas muitas decisões difíceis precisarão ser tomadas e isso não reflete em um setor em “boa forma”, muito pelo contrário, reflete um segmento que terá ainda grandes apertos ao longos dos próximos meses, na melhor das hipóteses.

Talvez ele tenha procurado dizer que o setor já recebeu sua ajuda e está direcionado, mas, na verdade, muita gente da aviação acabou sentindo a famosa gastura.

Nota: segundo o dicionário Michaelis, gastura é um regionalismo do nosso belo Nordeste e que significa “Mal-estar ou sensação de desconforto físico com náuseas, arrepios, irritabilidade nervosa, aflição etc.”.

Receba as notícias em seu celular, acesse o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias

Líderes da aviação da América Latina se reúnem na Colômbia a...

0
De domingo a terça-feira (24 a 26 de outubro), mais de 350 executivos da indústria da aviação comercial e representantes governamentais