Turbulência em avião de jogador de futebol vira um caos na imprensa brasileira

Uma confusão se formou depois que um jogador de futebol publicou um vídeo chorando após o avião arremeter e passar por turbulência. Assista ao vídeo abaixo (espere carregar) e depois entenda qual era o voo, a aeronave e a rota, no texto a seguir.

O caso aconteceu no dia 14, mas só viralizou quando Jean Patrick, jogador de futebol do Cuiabá Esporte Clube publicou o vídeo do voo no dia seguinte. Na gravação, Jean chega a chorar e é possível ouvir orações de outras pessoas na aeronave, temendo o pior.

O voo em questão foi o G3-1132, operado pelo Boeing 737-800 da GOL de matrícula PR-GZW. A rota partiu de São Paulo para Cuiabá e, a bordo, seguia a delegação do time cuiabano, desolado pela derrota por 1 a 0 que sofrera do Guarani no dia anterior. A partida era válida pela série B do Brasileirão e o gol foi marcado por Bidu, aos 31 do primeiro tempo. O Cuiabá não teve chances de gol e ainda terminou com um expulso.

De volta ao voo

A decolagem aconteceu no horário previsto e com normalidade, mas, na chegada a Cuiabá os pilotos encontraram mau tempo pela frente. No momento em que a aeronave se aproximava, uma tempestade castigava a cidade e, portanto, a melhor alternativa dos pilotos foi realizar uma arremetida, por segurança, e seguir para algumas órbitas, na esperança de uma melhoria nas condições meteorológicas.

Após diversas órbitas. e como o tempo em Cuiabá não indicava que iria melhorar, os pilotos decidiram que seria melhor prosseguir para Goiânia, já que a capital mato-grossense não oferecia condições minimamente adequadas para um pouso seguro. A escolha de Goiânia não foi acaso, mas sim era o aeroporto de alternativa, já previsto no plano de voo.

Até aqui, tudo dentro dos conformes e da segurança. Ao se analisarem os dados do FlightRadar24, que capturou todo o voo do Boeing da Gol, não se nota absolutamente nada de anormal. Ou seja, o que se viu foi um voo 100% alinhado aos procedimentos.

Mas a situação tomou uma proporção fora de série por causa do desespero dos passageiros diante de uma manobra normal e segura que é a arremetida. Rapidamente, o caso tomou as manchetes e foi capa em quase toda a grande imprensa, que usou as chamadas mais pitorescas como:

Jogadores do Cuiabá relatam momentos tensos no ar: “Achei que não voltaria para casa”, no Globo Esporte.

Jogador do Cuiabá chora ao lembrar voo: Agora sei o que a Chape passou, no UOL.

Orações e desespero! Delegação do Cuiabá passa por situação assustadora durante voo, no SportBuzz.

A imprensa, como, por exemplo, o Portal G1, falou que o avião foi para Goiânia apenas para reabastecer, e teve até notícias afirmando que o jato fez um pouso forçado, o que não é bem o que aconteceu. Enfim, um show de horrores.

Como uma tábua de salvação, o Lito, do Aviões & Músicas, comentou o caso hoje no vídeo abaixo e esclareceu com riqueza de detalhes e muito humor, tudo o que aconteceu.

Carlos Martins
Fascinado por aviões desde 1999, se formou em Aeronáutica estudando na Cal State Long Beach e Western Michigan University. Atualmente é Editor-Chefe no AEROIN, Piloto de Avião, membro da AOPA, com passagens pela Avianca Brasil e Azul Linhas Aéreas. #GoBroncos #GoBeach #2A

Veja outras histórias

Passageiros da American falarão com pilotos por telefone antes dos voos...

0
Visando aumentar a confiança dos passageiros no Boeing 737 MAX, a American sinalizou que fará algumas ações usando sua equipe técnica.