Turkish Airlines deve demitir pilotos estrangeiros para ficar com os turcos

As empresas turcas planejam cortes em seus quadros a fim de adequá-los à nova realidade da demanda imposta pela crise sanitária mundial. Por conta disso, o governo turco, através do regulador da aviação civil local, enviou um comunicado às companhias aéreas do país solicitando para que considerem o corte de pilotos estrangeiros, tripulantes de cabine e outros trabalhadores da aviação antes de despedir cidadãos turcos. 

Uma carta vista pela Bloomberg diz que a autoridade de aviação escreveu para as companhias aéreas turcas apresentando a ideia e pedindo sua opinião sobre o plano antes de emitir orientações formais sobre o assunto.

Com o crescimento das empresas turcas e o posicionamento de empresa global da Turkish Airlines, o número de trabalhadores estrangeiros tem crescido ao longo dos últimos anos e representa hoje cerca de 11% dos tripulantes registrados na Turquia.

“Se necessário, o recrutamento de funcionários estrangeiros deve ser reduzido e o de nossos cidadãos, e sua renda, devem ser protegidos”, disse o sindicato turco Hava-Sen ao SHGM em maio.

A ideia do governo turco é similar ao que já foi observado em vários outros países e tem grandes chances de tornar-se real em breve. Há vários brasileiros trabalhando atualmente na Turkish Airlines.

Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias

Avião Airbus A220-100 Delta

Apenas nessa semana, Delta Air Lines receberá seis aviões novos em...

0
Uma entrega em lote tão expressiva quanto essa, em tempos de pandemia e de aviões parados mundo afora, tem sido algo raro de noticiar