Turquia teria proibido voos dos Emirados após início da rota para Israel

A recente decisão de estabelecer laços diplomáticos com Israel pode ter custado aos Emirados Árabes Unidos o fim de uma grande rota de passageiros.

Avião Boeing 777-300 Emirates
Foto: Boeing

Com a normalização das relações entre Israel e Emirados Árabes Unidos, costurada pelos Estados Unidos e que teve um aval indireto da Árabia Saudita, foram realizados voos regulares sem escalas pela primeira vez entre os dois países. Mas outras comunidades muçulmanas teriam ficado incomodadas, sendo uma delas a Turquia.

Segundo a AlJazeera, a Emirates planejava voltar a voar entre Dubai e Istambul em junho, mas cancelou todos os voos e não permite reservas antes de 1º de dezembro. Já no outro lado da ponta, a Turkish Airlines vende as passagens, mas poucos dias antes dos voos, os cancela, isso tem sucedido semana após semana.

A outra “player” do mercado, a Etihad Airways, que fazia a rota Abu Dhabi – Istambul, segue a linha da Turkish, com venda de assentos e cancelamentos massivos em seguida.

Ambos os países já passaram o pior do coronavírus e voltaram aos voos; As empresas aéreas têm grande interesse nas ligação entre os países, que antes viam mais de 50 voos semanais (média de sete por dia) antes da pandemia, operados com grandes jatos como o Airbus A330 e o Boeing 777.

Mas até agora nenhum voo comercial foi feito entre os dois países, mesmo com ambos permitindo a conexão de passageiros de países com grande número de casos, como o Brasil. Estas conexões são essenciais para o modelo de negócio das três empresas, cujas bases operacionais estão estrategicamente localizadas entre a Europa, Ásia e África.

Não foi divulgado oficialmente o que impede o restabelecimento dos voos, mas tudo aponta para política, como dizem os jornais mundo afora. Os Emirados apoiaram o golpe de estado de 2013 no Egito, que tirou um aliado da Turquia do poder. Já os turcos são aliados do Catar, ao qual os Emirados colocaram sanções que incluem proibição de voos e sobrevoos.

A coisa só piorou agora com o estabelecimento de relações diplomáticas e voos com Israel, que é adversário declarado da Turquia. Até o momento não existem previsões para que os voos entre os dois países voltem, mesmo com uma possível vacina cada vez mais próxima.

Carlos Martins
Fascinado por aviões desde 1999, se formou em Aeronáutica estudando na Cal State Long Beach e Western Michigan University. Atualmente é Editor-Chefe no AEROIN, Piloto de Avião, membro da AOPA, com passagens pela Avianca Brasil e Azul Linhas Aéreas. #GoBroncos #GoBeach #2A

Veja outras histórias

Vídeo a bordo capta quase colisão de avião com árvores ao...

0
O vídeo mostra uma situação bastante crítica e muito alertada na instrução de pilotos, sobre perder condições visuais durante o voo.