Uma em cada dez pessoas alugou um jatinho usando Bitcoin no mês passado

Foto de SexyJet

Uma em cada dez pessoas alugou um jatinho usando Bitcoin. Ao menos, é o que diz a empresa britânica PrivateFly, que divulgou nessa segunda-feira (15) uma estatística interessante de sua operação, revelando que cerca de 19% de suas vendas de janeiro foram contabilizadas em Bitcoin, isso significa que, de todo o montante auferido com o aluguel de jatos executivos, um quinto foi pago pelos clientes usando a criptomoeda mais famosa do mundo.

Além disso, segundo levantamento dos jornalistas do The Telegraph, a supervalorização da criptomoeda nos últimos meses fez com que a quantidade de clientes da PrivateFly pagando em moeda virtual aumentasse dez vezes. A empresa ressalta que já oferece a possibilidade de receber pagamentos em Bitcoin desde 2014, mas só agora ela vê as vendas por essa modalidade decolarem.

“Cerca de 13% de nossos clientes pagaram dessa forma no mês passado. Anteriormente, víamos apenas de 1% a 2% a cada mês”.

As cotações da moeda têm atingido recordes, onde cada Bitcoin está valendo atualmente em US$ 50.000 (cerca de R$ 260.000), segundo cotação do site Infomoney. Os ganhos do Bitcoin estão sendo impulsionados pela crença de que a criptomoeda se tornará uma classe de ativos convencional, parte do portfólio de grandes organizações.

No início de fevereiro, a Tesla divulgou que havia investido US$ 1,5 bilhão em bitcoin e prometeu começar a aceitá-la como pagamento por carros elétricos. O diretor financeiro do Twitter disse que a empresa estava pensando em investir nesse ativo, bem como o prefeito de Miami disse que a cidade também estava considerando a ideia. Tudo isso foi combustível para o preço explodir, com muita gente comprando mundo afora.

No entanto, é importante saber que o investimento em criptomoedas representa um risco muito alto e pode não ser viável para todos os perfis de investidor. É importante pesquisar antes de incluir investimentos mais arriscados na carteira.

Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias

Cubana de Aviación tem novos voos impedidos por má condição das...

0
Segundo o Ministério do Transporte de Cuba, os voos domésticos só retornarão quando as aeronaves tiverem em melhores condições para voo.