União Europeia está questionando o plano de salvação da Alitalia

A Itália pode ter que rever o plano de nacionalizar e relançar a Alitalia caso a proposta não seja aprovada pela Comissão Europeia (CE), informou a mídia italiana.

A publicação financeira italiana Il Sole 24 Ore informou que a comissária europeia Margrethe Vestager disse às autoridades italianas que o relançamento planejado da linha aérea, que envolve as atividades de voo e manutenção, não é aceitável. Vestager pediu à Itália para voltar com um plano alternativo.

De acordo com o jornal italiano, o governo ainda não decidiu o que fazer, já que desenhar uma nova estrutura para o relançamento pode levar a um atraso de vários meses.

A Alitalia pediu falência em maio de 2017 e vinha buscando um comprador desde então, chegando perto de um plano de relançamento em 2019. Em março desse ano, quando a COVID-19 devastou a indústria de transporte aéreo, a Itália anunciou que nacionalizaria a Alitalia.

O governo estabeleceu planos para relançar a transportadora em junho, com 3 bilhões de euros de financiamento inicial, como parte de um pacote de apoio econômico mais amplo destinado a ajudar o país a se recuperar da crise do coronavírus.

O que a UE critica

O plano e salvação da Alitalia foi severamente criticado dentro e fora da Itália, pois previa a manutenção de uma estrutura inchada e pouco viável, bancada pelo estado. No início, a ideia é criar uma nova empresa (“Newco”) e enxugar a estrutura, demitindo parte da equipe e reduzindo a frota. Mas esses planos foram mudando ao longo do tempo.

De acordo com o Il Sole 24 Ore, as autoridades italianas não consideram os 3 bilhões de euros em financiamento como auxílios estatais e, portanto, terão que suar a camisa para demonstrar à Comissão Europeia que isso é uma verdade. Por sua vez, a comissaria da UE pede que a nova Alitalia seja eficiente, por meio de reduções na frota, rotas e força de trabalho, algo que os políticos italianos não estão muito dispostos pela impopularidade.

Portanto, os próximos 15 dias são cruciais para o futuro da empresa aérea.

Separadamente, a Comissão Europeia ainda está investigando empréstimos estatais previamente concedidos à Alitalia. “As investigações da Comissão sobre o empréstimo de 900 milhões de euros concedido em 2017 e o de 400 milhões de euros mais recente estão em curso para verificar se eles cumprem as regras de auxílio estatal da UE”, disse um porta-voz.

Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias

Raro Fokker 70 da Fly AllWays terá voos especiais no norte...

0
A empresa aérea surinamense Fly AllWays espera realizar novos voos especiais para a cidade de Boa Vista, em Roraima, durante os meses