“Vacinação será necessária para voos internacionais”, afirma CEO da Qantas

O CEO da companhia aérea australiana Qantas acredita que a vacina será um item obrigatório para viagens, assim como são atualmente as máscaras.

“Nós estamos olhando para mudar nossos termos e condições (contrato de transporte aéreo) para que viajantes internacionais tenham tomado a vacina antes de embarcar”, afirmou o CEO à Financial Times.

Conhecido pela suas falas firmes e por não esconder segredo, Alan Joyce é o primeiro executivo de companhia aérea a afirmar que passageiros não vacinados terão embarque negado.

Alan também afirmou que conversando com outros chefes de companhias aéreas, eles relataram o mesmo sentimento de que será necessário ter tomado a vacina para voar pelo globo.

Seguindo este cronograma, é possível que a Qantas voe internacionalmente com certa plenitude apenas no segundo trimestre do ano que vem, que é quando as vacinas já devem estar sendo disponibilizadas para boa parte da população mundial (ou ao menos para aquela que viaja com maior frequência).

Por outro lado, Alan pode ganhar mais uma torcida contra: ele é criticado por terra-planistas, que negam que a Austrália seja real porque ela não cabe no “plano terrestre”, e agora deve começar a ser criticado pelos anti-vacinas.

Carlos Martins
Fascinado por aviões desde 1999, se formou em Aeronáutica estudando na Cal State Long Beach e Western Michigan University. Atualmente é Editor-Chefe no AEROIN, Piloto de Avião, membro da AOPA, com passagens pela Avianca Brasil e Azul Linhas Aéreas. #GoBroncos #GoBeach #2A

Veja outras histórias

Jato de farmacêutica brasileira é visto na Rússia em negociação da...

0
A vacina russa Sputnik V está cada vez mais próxima do Brasil: Uma farmacêutica voou até Moscou para negociar doses.