Veja, da cabine, como foi o voo a 3 metros do solo do comandante aposentado

Receba essa e outras notícias em seu celular, clique para acessar o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

Um vídeo divulgado no final de semana passado mostrou um comandante de Boeing 737 fazendo uma passagem baixa na Argentina, e agora imagens internas foram reveladas. O vídeo abaixo (espere carregar), registra tal momento especial.

Neste novo vídeo acima, que foi gravado da cabine de comando da aeronave, é possível perceber a tranquilidade do comandante, que conduz a passagem baixa com o avião tendo seu trem de pouso e flapes baixados.

Inclusive, dá para ouvir o aviso “Ten” quando ele sobrevoa a área de toque, indicando que o jato está a 10 pés de altura do solo, ou seja, apenas 3 metros. Num pouso normal, logo após esse aviso, ocorre o toque dos pneus do trem de pouso principal com a pista.

Mas, nesse caso, isso não aconteceu. O motivo para isso foi muito especial, já que se tratava do último voo comercial de um comandante antes de partir para sua aposentadoria.

Estamos tentando identificar junto à empresa aérea e a colegas na Argentina o nome do comandante. O que se sabe, é que o voo final foi para Bariloche no dia 28 de janeiro com um Boeing 737-800 empresa aérea nacional Aerolíneas Argentinas. A bonita passagem baixa foi gravada por uma pessoa que estava na cabeceira oposta ao pouso. Caso queira rever a filmagem pelo lado de fora, clique aqui.

Batismo da aeronave com água e passagens baixas são comuns durante aposentadorias, e a cultura de realizar este procedimento é bastante difundida no país vizinho.

Carlos Martins
Fascinado por aviões desde 1999, se formou em Aeronáutica estudando na Cal State Long Beach e Western Michigan University. Atualmente é Editor-Chefe no AEROIN, Piloto de Avião, membro da AOPA, com passagem pela Avianca Brasil. #GoBroncos #GoBeach #2A

Veja outras histórias

Pilotos estão proibidos de fazer jejum religioso durante voos por medo...

0
A Pakistan International Airlines (PIA) proibiu seus pilotos e comissários de voarem em jejum, por temor de que a tripulação não seja capaz