Início Aeroportos Velocidade na pista do aeroporto de Campinas no Driver Day 2020, veja...

Velocidade na pista do aeroporto de Campinas no Driver Day 2020, veja imagens

Receba as notícias em seu celular, clique para acessar o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

O aeroporto Campo dos Amarais, na cidade de Campinas (SP), recebeu neste sábado, 21 de novembro, o Driver Day 2020, evento que permitiu aos participantes inscritos correrem com seus carros nas modalidades Passeio ou Top Speed na pista de pousos e decolagens do aeroporto campineiro. Confira a seguir uma galeria exclusiva de imagens e vídeos.

Promovido pela Driver Brasil, uma empresa de 10 anos com expertise em publicações, comunicação e eventos esportivos e de relacionamento com público de alto poder aquisitivo, o evento é uma das etapas da Driver Cup, competição cujo intuito é levar os participantes para locais especialmente preparados para recebê-los, com toda infraestrutura necessária para realizar um evento em pista ou aeródromo, sempre priorizando a segurança.

Dezenas de veículos de luxo e esportivos estiveram presentes, incluindo Porsches, McLarens, Ferraris, BMWs, dentre outros.

Além da experiência de pista em si, o evento reúne empresas de diversos segmentos, especialmente aeronáuticos e automotivos, expondo seus produtos e gerando negócios de alto valor, como vendas de veículos e aeronaves, bem como renda aos locais que recebem as etapas, como o Aeroporto Campo dos Amarais.

Segundo Decio Rodrigues, editor-chefe da Revista Driver, o evento é tão bem-visto pela renda, atratividade e negócios que gera que até mesmo concessionárias de grandes aeroportos já entraram em contato para possíveis realizações de etapas em suas dependências.

Além do Campo dos Amarais em Campinas, ao longo dos últimos anos várias etapas já foram realizadas em outros aeroportos, como em Leme (SP), Araras (SP), Gavião Peixoto (SP) (pista da fábrica da Embraer) e até mesmo na Academia da Força Aérea, casa da Esquadrilha da Fumaça e base de treinamento de pilotos da FAB em Pirassununga (SP).

A prova de hoje, de meia milha (804 metros) permitia a aferição de velocidade segundo os padrões e regulamentação da Federação Internacional de Automobilismo, ou seja, os carros não competem entre si, mas sim buscam a maior velocidade possível dentro da distância disponível.

Veja e ouça no vídeo a seguir, no qual experimentamos a prova a bordo de um veículo elétrico Mercedes EQC, uma resumida explicação do piloto Dennis Rolim:

Durante o evento, a área operacional do aeroporto é fechada para operações de aeronaves, e são colocadas tendas próximas à cabeceira da pista para apoio às equipes de controle, que são desmontadas logo após o final do período de aferições. Em caso de necessidade de pouso de emergência de algum avião, a equipe é treinada para evacuar a pista em 3 minutos.

Decio também destaca que não é permitido aos participantes “fritar” pneus, fazer “cavalinhos de pau”, entre outras atitudes semelhantes, uma vez que o foco é a seriedade, a segurança e a preservação do aeródromo.

Há ainda uma equipe técnica que segue regulamentação da Federação Internacional de Automobilismo e que faz a vistoria e limpeza da pista antes, durante e após o evento, garantindo que o aeroporto esteja de volta em condições seguras depois do encerramento.

Decio comenta que já houve até mesmo uma etapa em que a pista do aeroporto, por ser localizada em área cercada de plantação de cana-de-açúcar, precisou ser completamente lavada pela Driver para a prova, ou seja, após a Driver Cup o aeroporto ficou até em melhores condições operacionais para as aeronaves.

Anteriormente, diante da divulgação do evento e da informação de que a pista do Campo dos Amarais ficaria inoperante por mais de 8 horas ao longo do sábado, muitas críticas foram feitas sob a óptica de que é um absurdo parar um aeroporto para realizar um evento automobilístico.

No entanto, vendo presencialmente como tudo é organizado e como há impactos positivos para a renda do aeroporto, que depois pode se refletir em melhorias no próprio aeródromo, e para empresas do segmento aeronáutico, é bem plausível afirmar que oito horas de parada do local são tranquilamente administráveis por quem precisa pousar ou decolar com sua aeronave.

Receba as notícias em seu celular, clique para acessar o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

Sair da versão mobile