Ventos fortes fazem aeroporto ficar ocioso por seis anos em Taiwan

Receba as notícias em seu celular, clique para acessar o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

Aeroporto Hengchun Taiwan
Hengchun Airport, em Taiwan. IMAGEM: CEphoto, Uwe Aranas via Wikimedia

O Aeroporto de Hengchun, no sul da ilha de Taiwan, está há seis anos sem receber voos regulares devido a um problema difícil de controlar pelos administradores do terminal: os fortes ventos na região, que interrompem a operação com mais frequência do que o tolerável pelas companhias aéreas. No entanto, ainda há esperança de que o empreendimento se torne viável.

Administrado pelo governo da província, o Aeroporto de Hengchun iniciou as operações com voos regulares domésticos em janeiro de 2004. Segundo a agências de notícias Focus Tawian, na época, três companhias aéreas voavam para lá. Mas, três anos depois, restava apenas a companhia regional Uni Air.

Anos mais tarde, com a instalação de um trem de alta velocidade que liga a cidade à capital do país, Taipei, essa que era a última ligação aérea feita pela Uni Air foi abandonada em 2014. Os direitos de operar a rota ainda foram mantidos, até que, em 2019, após 5 anos anos sem voos, a companhia aérea decidiu cancelar seu direito do voo Taipei-Hengchun.

Ventos

Anualmente, sempre entre outubro e março, o aeroporto sofre com fortes ventos que forçam-no a fechar por longos períodos nesses meses. O aeroporto é pequeno, com pista de apenas 1.700 metros, o que permite a operação somente de aeronaves de pequeno e médio porte, mais sensíveis a rajadas que podem colocar o voo em risco.

Dessa forma, devido à irregularidade dos voos e a opção mais segura do trem para os viajantes, o aeroporto perdeu o interesse das companhias aéreas.

Desde agosto de 2014, o aeroporto não processou nenhum passageiro. Naquele ano, foram apenas 758 usuários, ante 23 mil em 2004, o primeiro pós-inauguração. O Governo já estudou diversas possibilidades sobre o que fazer com o aeroporto, desde a desativação total, até a transformação em uma base militar.

Ressurgimento

Nesta semana, no entanto, uma nova oportunidade surgiu para o aeroporto. Em 21 de setembro, uma aeronave filipina realizou o primeiro voo civil para o aeroporto em seis anos. Foi um voo de teste, mas que aumentou as esperanças entre as autoridades do condado para que o aeroporto se torne viável em um futuro próximo.

O avião Dornier328, de 31 assentos e motores Platinum Skies, pousou às 10h40 da última segunda-feira, hora local. A aeronave levava representantes da Autoridade de Aviação Civil das Filipinas a bordo, além de técnicos especializados. Os passageiros não chegaram a desembarcar. Logo após o pouso, o avião decolou de volta para as Filipinas.

A operação foi considerada um evento de grande importância para o país. O governador da província de Pingtung, onde está localizado o aeroporto, Pan Men-na, foi pessoalmente até o aeroporto e acenou da torre de controle para saudar o avião quando ele pousou.

“Este é um momento histórico para o aeroporto de Hengchun”, disse Pan em um comunicado para a imprensa divulgado pelo governo do condado. Ele elogiou o voo como uma nova oportunidade para reviver o aeroporto.

Segundo o governante, a pista do aeroporto deverá ser estendida para permitir a operação de aeronaves maiores e mais resistentes ao vento, além da construção de nova pista auxiliar. A abertura de rotas aéreas para voos charter internacionais é a primeira etapa do projeto de revitalização do aeroporto, que já obteve a aprovação do governo nacional.

Com informações do Routes online e do Taiwan News

Receba as notícias em seu celular, clique para acessar o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

Fabio Farias
Jornalista e curioso por natureza. Passou um terço da vida entre aeroportos e aviões. Segue a aviação e é seguido por ela.

Veja outras histórias

Sideral usará Boeing 737-300 em mais um resgate de refugiados venezuelanos

0
Está programado para a manhã desta quarta-feira, mais um voo especial da empresa Sideral Linhas Aéreas com o objetivo de resgatar refugiados