Viagens domésticas nos EUA podem se normalizar antes do previsto

Receba essa e outras notícias em seu celular, clique para acessar o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

A aviação doméstica nos Estados Unidos está em um ritmo de recuperação mais rápido do que imaginado para o momento e pode voltar para os índices pré-pandemia já no início do ano que vem. Os dados constam em um novo relatório divulgado pela empresa de consultoria Oliver Wyman, publicado na segunda-feira, 5 de abril.

De acordo com o estudo Airline Economic Analysis 2020-2021, a recuperação pós-coronavírus das viagens aéreas no país está avançando mais rapidamente do que o esperado, à medida que as medidas econômicas lançadas pelo Governo Joe Biden e a etapa avançada na vacinação em âmbito nacional aumentam o otimismo do setor.

No início da pandemia, em março de 2020, especialistas em aviação temiam que a crise durasse cinco anos ou mais. Agora, frente a um novo cenário, a expectativa é que as viagens domésticas estejam normalizadas no primeiro trimestre de 2022. Já as viagens internacionais e de negócios demorarão mais tempo para se recuperar, só voltando a normalidade em 2023, mesmo assim, antes do projetado inicialmente.

Segundo reportagem do portal FlightGlobal, as principais companhias aéreas estadunidense informaram que março deste ano foi um dos meses mais lucrativos desde que a crise global de saúde quase paralisou as viagens aéreas um ano atrás. O tráfego aumentou para cerca de 50% dos níveis pré-pandêmicos, apoiado pelas viagens nas férias de primavera no hemisfério norte.

Para Tom Stalnaker, um dos sócios da Oliver Wyman, um alinhamento de fatores levou a um cenário impensável há alguns meses, o que torna a retomada mais rápida algo factível. “Um ano atrás, teríamos pensado que uma recuperação doméstica completa neste período de tempo para os EUA era quase impossível, mas a combinação de demanda reprimida, estímulo econômico e acesso a vacinas está fazendo a diferença”, disse Stalnaker, no relatório.

A normalização generalizada, contudo, ainda vai demorar um pouco mais, mas em um ambiente menos perigoso para o mercado. “Ainda estamos longe de uma recuperação total para a indústria como um todo, mas esperamos que algumas das companhias aéreas comecem a ter fluxo de caixa positivo em questão de meses, principalmente nos Estados Unidos”, completa o executivo.

Nas próximas semanas, mais empresas começam a publicar os ganhos no primeiro trimestre de 2021, o que permitirá uma melhor análise do segmento e se a onda de otimismo tem novo embasamento.

Fabio Farias
Jornalista e curioso por natureza. Passou um terço da vida entre aeroportos e aviões. Segue a aviação e é seguido por ela.

Veja outras histórias

Autorização para menores de idade voarem no Brasil ficou mais fácil

0
Por meio de uma videoconferência dos pais com o cartório, será possível emitir um documento eletrônico com um QRCode a ser usado no embarque.