Vídeo aéreo do local da queda do A320 mostra que jato desceu quase na vertical

Receba as notícias em seu celular, acesse o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

Uma filmagem aérea feita a partir de um helicóptero sobrevoando o local da queda do Airbus A320 da Pakistan International Airlines mostra que a aeronave atingiu o solo em descida quase vertical.

Vídeo aéreo local queda A320 Pakistan Airlines

As imagens do vídeo deixam ainda mais evidente o fato de que o A320 perdeu quase toda sua velocidade horizontal de voo após a falha dos motores.

Como consequência, ocorreu a típica situação de perda de sustentação, uma vez que aeronaves somente voam se houver fluxo de ar passando ao redor da asa no sentido horizontal, para que esta gere a sustentação vertical que mantém o equipamento no ar.

Normalmente, acidentes aeronáuticos são marcados por destroços espalhados por extensas áreas, muitas vezes de quilômetros, por conta da energia envolvida com a alta velocidade de voo (acima dos 200 km/h nos pousos e decolagens, e acima dos 800 km/h em voo), associada ao peso dos componentes e da aeronave em si.

Mas não é o que se observa no acidente dessa sexta-feira, 22 de maio. A gravação aérea mostra que uma área muito pequena foi atingida.

O avião caiu praticamente na vertical, na rua, danificando apenas de forma leve algumas casas em um espaço não maior do que 50 ou 100 metros, de forma que nem mesmo houve fatalidades em solo. Foram confirmadas as mortes de 97 das 99 pessoas a bordo, com a sobrevivência de 2 passageiros que estão internados.

Vale destacar que, por muita sorte, a fuselagem do A320 parece ter entrado exatamente no espaço da rua. Uma queda sobre as casas poderia ter um desfecho ainda pior, resultado em mais fatalidades.

Veja a seguir a filmagem aérea (clique no play e aguarde carregar). Depois, abaixo da filmagem, aproveite para rever o vídeo da queda, e notar a aeronave afundando em meio às casas.

Receba as notícias em seu celular, acesse o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

Murilo Bassetohttp://www.aeroin.net
Formado em Engenharia Mecânica e Pós-Graduando em Engenharia de Manutenção Aeronáutica, possui mais de 6 anos de experiência na área controle técnico de manutenção aeronáutica.

Veja outras histórias