Vinci, que administra aeroportos no Brasil, lança sua 1ª floresta de captura de carbono em Lyon

Imagem: VINCI Airports

Nicolas Notebaert, CEO da VINCI Concessions e Presidente da VINCI Airports, anunciou hoje um programa de reflorestamento local que irá absorver as emissões residuais dos aeroportos Lyon-Saint Exupéry e Lyon-Bron, operados pela VINCI Airports desde 2016.

O primeiro projeto deste programa, realizado em parceria com o Escritório Florestal Nacional da França e o Conselho Departamental de Rhône, está localizado a cerca de 30 quilômetros do aeroporto Lyon-Saint Exupéry, na floresta Cantinière. Ele consiste na restauração, reflorestamento, manutenção e manejo de um terreno de 3,6 hectares com espécies localmente resilientes selecionadas por sua forte capacidade de adaptação ao estresse hídrico e absorção de CO2.

Este primeiro projeto de sumidouro florestal de carbono irá capturar mais de 500 toneladas de CO2 ao longo do período de crescimento das plantas graças à fotossíntese e visa obter a certificação Low Carbon Label.

Ao desenvolver outros projetos semelhantes dentro de um acordo de cinco anos com o departamento de Rhône, a VINCI Airports criará uma rede de sumidouros florestais na região de Rhône que compensará 100% das emissões residuais dos aeroportos de Lyon. Em apoio às muitas ações de descarbonização em andamento, este programa permitirá que o aeroporto Lyon-Saint Exupéry se torne o primeiro aeroporto comercial da França a atingir “emissões líquidas zero” até 2026.

Aeroporto Lyon-Saint Exupéry – Imagem: VINCI Airports

A VINCI Airports também oferecerá às companhias aéreas a adesão a este programa de sumidouros de carbono florestal – no âmbito da Lei Francesa de Clima e Resiliência, que exigirá a compensação de voos domésticos a partir de 1º de janeiro de 2022 – e posteriormente a companhias ou passageiros de voos internacionais.

Como o primeiro operador aeroportuário a agir em prol do meio ambiente em escala global, a VINCI Airports já reduziu as emissões de CO2 em sua rede em 22% entre 2018 e 2020. Os sumidouros de carbono florestal fazem parte do plano de ação dos Aeroportos da VINCI para contribuir com a descarbonização da aviação com todos os atores do transporte aéreo. Outras iniciativas incluem aeroportos sustentáveis, incentivos para renovação de frotas aéreas com aeronaves menos emissivas, desenvolvimento de biocombustíveis e preparação de aeroportos para a chegada de aeronaves a hidrogênio.

Nicolas declarou: “É no coração das regiões e territórios onde operamos que a VINCI Airports está atuando. Nossa rede, profundamente territorial e amplamente internacional, nos permite ter um impacto tangível e imediato para contribuir para a descarbonização da mobilidade, onde quer que operemos.”

No Brasil, a VINCI Airports já administra o Salvador Bahia Airport desde 2018, e neste ano de 2021 venceu a licitação do Bloco Norte para assumir os aeroportos de Manaus, Porto Velho, Rio Branco, Boa Vista, Cruzeiro do Sul, Tabatinga e Tefé, o que deverá resultar em projetos de sustentabilidade para estes aeroportos ao longo dos próximos anos e décadas.

Informações da VINCI Airports

Murilo Bassetohttp://www.aeroin.net
Formado em Engenharia Mecânica e Pós-Graduando em Engenharia de Manutenção Aeronáutica, possui mais de 6 anos de experiência na área controle técnico de manutenção aeronáutica.

Veja outras histórias