Vindo da Bolívia com avião cheio de drogas, piloto não respeita ordens da Força Aérea

O Cessna 182 interceptado – Imagem: Força Aérea Brasileira

A Força Aérea Brasileira (FAB) interceptou, nesse sábado, 31 de julho, uma aeronave classificada como suspeita, segundo informações de inteligência da Polícia Federal (PF), que ingressou no espaço aéreo brasileiro oriunda da Bolívia.

As ações envolveram dois caças turboélice Embraer A-29 Super Tucano e um helicóptero H-60 Black Hawk da FAB, além de todo o Sistema de Defesa Aeroespacial Brasileiro (SISDABRA).

Caças A-29 Super Tucano – Imagem: Força Aérea Brasileira

A aeronave modelo Cessna 182 Skylane sobrevoava o espaço aéreo de Rondônia quando foi interceptada às 17h46 (horário de Brasília) por um A-29A da FAB. O caça aplicou as Medidas de Policiamento do Espaço Aéreo de averiguação e intervenção, até ser ordenada ao piloto a mudança de rota

Tudo isso ocorreu sob a coordenação conjunta do Comando de Operações Aeroespaciais (COMAE), Quarto Centro Integrado de Defesa e Controle de Tráfego Aéreo (CINDACTA IV) e da Polícia Federal.

A aeronave interceptada não respeitou as ordens e tentou se evadir, realizando um pouso em uma pista não homologada na divisa de Rondônia com o Mato Grosso. A partir de então a Polícia Federal, a bordo de um Helicóptero H-60 Black Hawk da FAB, assumiu as Medidas de Controle de Solo (MCS). O piloto se evadiu antes do pouso do H-60 e na aeronave foram encontrados mais de 300 quilos de cloridrato de cocaína.

Imagem: Força Aérea Brasileira

H-60 Black Hawk usado na operação – Imagem: Força Aérea Brasileira

O Comandante de Operações Aeroespaciais, Tenente-Brigadeiro do Ar Sergio Roberto de Almeida, destacou o sucesso da operação conjunta. “O sucesso da missão ocorreu graças à prontidão da FAB e o apoio da Polícia Federal. Mais uma vez demonstramos que somos capazes de desencadear operações de defesa aérea 24 horas por dia sete dias por semana”, destacou.

As ações fazem parte da Operação Ostium para coibir ilícitos transfronteiriços, na qual atuam em conjunto a FAB e Órgãos de Segurança Pública, em cumprimento ao Decreto nº 5.144 de 16 de julho de 2004.

Informações da Força Aérea Brasileira

Murilo Bassetohttp://www.aeroin.net
Formado em Engenharia Mecânica e Pós-Graduando em Engenharia de Manutenção Aeronáutica, possui mais de 6 anos de experiência na área controle técnico de manutenção aeronáutica.

Veja outras histórias

Passageiro capta o momento em que motor do avião emite chamas...

0
Uma pane com o avião comercial logo após a decolagem levou à ocorrência de emissão de labaredas por um de seus motores.