Como é voar no avião regional Tecnam P2012, que esteve no Brasil pela primeira vez

Assim como você, leitor, pôde acompanhar nesta semana, estivemos presentes no Aeroporto de Jundiaí, cidade do interior do estado de São Paulo, para acompanhar a chegada da aeronave italiana Tecnam P2012 Traveller em sua primeira visita ao Brasil. Além da exposição estática, tivemos a oportunidade de realizar um voo ao final da tarde da última terça-feira, 11 de maio.

Acompanhe agora mais detalhes e belas imagens, além da incrível experiência ao pôr-do-sol, incluindo um vídeo do voo que você verá nesta matéria.

Pré-Voo

Logo após sua chegada, precisamente às 15h34, vinda de Anápolis (GO), a aeronave foi saudada com a tradicional saudação de jatos d’água dos Bombeiros, uma cerimônia conhecida por “batismo” ou “water salute” e que marca ocasiões especiais na aviação. Foi um ótimo prenúncio para o agradável voo que testemunharíamos momentos adiante.

Com os motores cortados, executivos da fabricante e potenciais clientes de importantes linhas aéreas regionais aproveitaram para verificar o desenho moderno da aeronave, que segue um estilo próprio. Por fora e por dentro, o avião tem uma “cara” moderna, símbolo do tão reconhecido design italiano.

Enquanto isso, os dois pilotos argentinos da Tecnam preparavam a aeronave para o voo que se seguiria. Eles trouxeram a aeronave desde os Estados Unidos e se dirigiam para o Uruguai, onde este P2012 seria preparado e entregue a um cliente privado.

Verificação de combustível
Pilotos argentinos da Tecnam
Fonte externa para alimentação da parte elétrica da aeronave

Por dentro

Detalhes importantes no interior da aeronave chamam a atenção, como assentos de couro sintético confortáveis, saídas de ar e luz de led para leituras individuais, que estão no teto, contemplando todos os assentos. Isso assegura um ambiente interno de classe, que contribui para deixar os passageiros com o sentimento de acolhimento.

Um ponto interessante é que os nove passageiros têm um bom espaço para as pernas, que é maior que aquele que encontramos nos interiores dos aviões comerciais, por exemplo.

Naturalmente, como é padrão nessa classe de aeronave, o P2012 não possui bins (compartimentos para bagagem) na parte superior da cabine e as malas dos passageiros devem ser colocadas no bagageiro principal.

Entradas de rádio para microfone e fone também estão disponíveis para todos os passageiros a bordo. Outro ponto em que o voo no P2012 proporciona uma interessante experiência de voar é o tamanho amplo das janelas, que permite uma vista panorâmica e mais claridade interna.

O voo no pôr-do-sol

Com o plano de voo aprovado, alguns dos presentes, entre eles executivos da Azul Conecta, embarcaram na aeronave. Contando com os pilotos, a aeronave tem capacidade para 11 ocupantes, o mesmo número que os Caravans da Azul podem levar. Há de se comentar que havia dois tripulantes a bordo, apesar de a aeronave ser certificada para voar com apenas um piloto.

Com todos os passageiros com os cintos afivelados, a aeronave começa a taxiar para a cabeceira 18, sob autorização da torre de controle, onde no ponto de espera, aguarda o contato para ingresso na pista.

Às 17h34, o Tecnam P2012 Traveller tem seus motores Lycoming TEO540 C1A, a pistão, colocados em máxima potência e inicia sua corrida de decolagem. Aproximadamente na metade da pista de Jundiaí, que possui 1.400 metros, o bimotor levantou um suave voo sob um lindo pôr-do-sol, para um voo panorâmico.

Uma curiosidade sobre o motor do P2012 é que cada um fornece até 375hp (280kW) e pode ser movido a Mogas (gasolina automobilística) ou Avgas (gasolina de aviação), sendo a primeira muito mais barata do que a segunda. Esse foi o fato decisivo para que a regional americana Cape Air encomendasse 100 aeronaves do modelo, enquanto mantém um abastecimento exclusivo de Mogas em seus hubs nos EUA.

Nosso voo foi rápido, de apenas 30 minutos, apesar do alcance desse modelo ser de até 1.760 km, podendo operar com um teto máximo de 19.500 pés (cerca de 5.900 metros) a uma velocidade máxima de cruzeiro de 351 km/h. A envergadura da asa mede em torno de 14 metros e ele tem um comprimento de 11,8 metros.

Já na fase de subida, sob comando dos pilotos, o potente bimotor realizou uma curva à esquerda, cruzando por cima do aeroporto, com destino à cidade de Itu, também no interior de SP. Estabilizamos a 4.000 pés de altura num deslocamento tranquilo de um voo confortável. 

Já sobrevoando a cidade de Itu, após 15 minutos de voo, a aeronave realizou uma curva em direção a Jundiaí. Dados obtidos através da plataforma do RadarBox, mostram a trajetória da aeronave, conforme imagem logo abaixo.

Após quase 30 minutos de voo e, com o anoitecer, o bimotor efetuou o pouso pela pista 18, tocando o solo às 18h01. Ao taxiar e chegar no hangar da Bravo Aviation, cortou os motores sob o aplauso dos passageiros.

Segundo a Bogsan Consultoria e Assessoria Aeronáutica, representante da Tecnam no Brasil, a escala em solo brasileiro, sobretudo em Jundiaí-SP, teve suma importância para a fabricante italiana, já que o cenário pandêmico prejudicou pequenas cidades por suspensões de voo. Nesses tempos, surgem oportunidades para aeronaves do porte do P2012, dando destaque ao modal aéreo com base na grande extensão territorial do Brasil.

Imagem: RadarBox

Confira abaixo um vídeo exclusivo, onde mostramos a chegada da aeronave, juntamente com o “batismo”. Também é possível acompanhar um tour externo e, pouco após a metade do vídeo, contemplar o sobrevoo feito a bordo do Tecnam P2012 Traveller de Jundiaí até Itu, com uma linda decolagem ao pôr-do-sol.

Mais algumas imagens do sobrevoo:

Leia a matéria sobre a chegada da aeronave em Jundiaí:

Juliano Gianotto
Ativo no Plane Spotting e aficionado pelo mundo aeronáutico, com ênfase em aviação militar, atualmente trabalha no ramo de fotografia profissional.

Veja outras histórias

Terminal Aeroporto Congonhas

Aeroportos de Congonhas e Porto Alegre suspendem barreiras sanitárias

0
Segundo a prefeitura de São Paulo, as barreiras foram desativadas por definitivo, após uma estabilização nos casos de passageiros infectados.