Voo com 129 passageiros é cancelado porque o piloto esqueceu sua licença em casa

Um piloto da ANA contribuiu para atrapalhar os planos de Natal de 129 passageiros ao esquecer sua licença em casa, causando o cancelamento definitivo do voo que ele deveria pilotar.

voo ana
Foto de Aero Icarus via Wikimedia Commons

É certo que todos somos humanos e que podemos esquecer de nossas coisas. Que atire a primeira pedra quem nunca esqueceu a carteira, a bolsa, as chaves, o guarda-chuva, a data de um aniversário, o nome de um colega, dentre outros. No entanto, um piloto de linha aérea esquecer sua licença para pilotar é algo que não se escuta todos dias.

Essa história foi reportada pelo Japan Times e diz que um piloto da All Nippon Airways (ANA), cujo nome não foi revelado, mas cuja idade está na casa dos 60 anos, fazia um voo regular com 217 passageiros de Tóquio, para Fukuoka. No meio do voo, o comandante teria se dado conta de que estava sem sua licença de piloto comercial, artigo mandatório para todos os pilotos que voam no Japão (e em outras partes do mundo).

Segundo o jornal, ele teria telefonado para a base da ANA em solo e explicado a seus superiores que estava voando sem sua licença e que realmente a deixou em casa em Tóquio.

Piloto não deveria embarcar sem a licença

Apesar de terminantemente proibido voar sem a habilitação em mãos, como a aeronave estava em voo e se aproximava do destino, a companhia aérea decidiu deixá-lo continuar e pousar normalmente com os 217 passageiros. A decisão foi acertada, mas ele não poderia voar mais naquele dia.

O problema é que, nos termos da lei, os pilotos devem portar suas licenças enquanto pilotam uma aeronave, e mais importante ainda, que o copiloto e o piloto devem verificar um ao outro antes de decolar. É nesse procedimento que a ANA está concentrando sua investigação nesse momento, porque o copiloto deveria ter visto e reportado, antes de os dois terem embarcado em Tóquio.

Uma vez identificado o problema, o piloto não poderia fazer seu próximo voo, o NH428, de Fukuoka para Osaka. Sem piloto, o voo foi cancelado e forçou 129 passageiros a encontrar viagens alternativas. Na captura de tela do FR24 é possível ver a indicação de que o voo de ontem, 24 de dezembro, foi cancelado.

Imagem do FR24 com destaque ao voo cancelado

E o problema não parou por aí, já que a ANA teve correr para encontrar outro piloto para fazer o voo de Osaka para Sendai (voo NH739), que seria mais uma perna comandada pelo mesmo piloto. Felizmente, a companhia conseguiu encontrar um substituto e esse último voo saiu no horário.

Melhoria de processos pré-voo

Tudo o que envolve controles manuais precisa ser auditado para verificar se há falhas (ou até mesmo se o processo é mesmo necessário).

Se verificação pré-voo envolve o copiloto e o piloto checarem um ao outro, obviamente, nesse caso, esse controle nunca aconteceu e os pilotos foram autorizados a continuar mesmo assim, em não-conformidade com a Lei local.

Mas isso também mostra como a burocracia pode atrapalhar, e muito, as operações. Afinal, para que seria necessária a licença física? Será que um documento emitido antes do voo pela companhia aérea já não serviria, ou então uma carteira digital. E olha que estamos falando do Japão, onde as coisas, geralmente, são muito avançadas nesse sentido.

Enfim, um caso como esse sempre oferece a oportunidade para refletirmos e identificarmos oportunidades de melhorias em processos.

Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias

Vídeos mostram como é embarcar um barco no grande avião Antonov...

0
As interessantes gravações mostram o processo de transporte dos barcos de competição no tradicional cargueiro Antonov AN-124.