Voo da Delta para NY faz pouso forçado em Brasília após problema no motor do avião

O incidente aconteceu em um voo da Delta na última sexta-feira, 14 de fevereiro. Durante o trajeto de São Paulo a Nova Iorque, algo inesperado aconteceu com um dos motores do avião, obrigando os pilotos a prosseguirem num pouso não programado na capital do país. O avião continua por lá até agora.

Avião Airbus A330-300 Delta Air Lines

Segundo informações do Avherald, o Airbus A330-300 da Delta Airlines, com registro N825NW, executava o voo DL472 e já estava a 34.000 pés (~11,3 mil metros) sobre o Estado do Tocantins, quando os pilotos fizeram meia-volta e tomaram rumo de Brasília.

No dia anterior, a aeronave havia feito o voo de Atlanta para São Paulo, sem nenhum problema reportado e na sexta à noite assumiu o voo para Nova Iorque. A decolagem de São Paulo aconteceu como planejado e sem atrasos às 22h29.

Segundo informações que nos foram passadas, os pilotos decidiram pelo desvio, informando aos passageiros que tal procedimento seria necessário devido a problemas com um dos motores CF6. A origem o tipo de problema não foram especificados pela empresa aérea em seu comunicado a bordo.

O pouso na pista 29 do aeroporto de Brasília aconteceu normalmente à 1h20 da madrugada do sábado. Até o fechamento dessa matéria, a aeronave ainda estava no solo brasiliense, mais de 30 horas após o incidente. Segundo dados do FlightRadar24, há uma programação para que a aeronave decola sem passageiros rumo a Atlanta às 7h00 da manhã desta segunda-feira, 17, como voo DL9960.

Terceira vez com o Delta 472

Em pelo menos outras duas ocasiões, o mesmo voo DL472 teve que retornar a São Paulo devido a problemas diversos. Em 18 de setembro de 2016, o mesmo voo era operado pelo 767-300ER e teve que retornar após a aeronave acabar danificada enquanto atravessava uma nuvem de granizo.

A situação mais recente aconteceu em 26 de dezembro de 2019, um dia após o Natal, quando outro Airbus A330-300 teve que retornar a São Paulo por problemas não divulgados. Antes do pouso, os pilotos aeronave realizaram diversas órbitas sobre regiões não-habitadas do interior paulista, a fim de alijar o combustível e diminuir o peso do avião para o pouso.

Carlos Ferreira

É profissional de marketing e pesquisador de temas relacionados à aviação há quase duas décadas. Leva a câmera fotográfica para onde vai e faz mais fotos de aviões do que dos passeios. Responsável pela linha editorial da revista eletrônica AEROIN.net.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.