Voos da Azul para Lisboa fazem parada no Recife, mas porquê?

A crise do Coronavírus na aviação tem gerado voos inéditos e curiosos, e a novidade da vez é a Azul, que tem voado para Lisboa com o A330, mas com escala.

Airbus A330neo Azul
Airbus A330neo da Azul, o utilizado na rota para Lisboa

A empresa anunciou recentemente um drástico corte em sua malha, principalmente na internacional, que ficará limitada a voos de/para Viracopos – Campinas.

Dentre estes voos que serão mantidos estão o AD8750 e o AD8751, respectivamente de ida e volta para Lisboa em Portugal.

Mas o voo AD8750 de ontem partiu de Campinas para Recife, e depois de Recife para Lisboa. De lá está voltando agora, novamente para a capital pernambucana, onde tem pouso previsto para às 15h40.

O voo do A330neo de Recife para Lisboa – Imagem: FlightRadar24

Essa rota está sendo feita pelo Airbus A330neo de matrícula PR-ANY, e não é à toa. Todos esses detalhes de aeronave e de rota têm um motivo: tripulação.

Lei do Aeronauta

Devido às restrições que a União Européia impôs aos estrangeiros que entrem no bloco e na área Schengen, não é viável que a tripulação da Azul desembarque e pernoite em Lisboa.

Sem poder pernoitar em Lisboa, a tripulação se viria obrigada a retornar para o Brasil, porém isso extrapolaria em muito o tempo máximo em serviço dos funcionários, que pela Lei do Aeronauta é de no máximo 14 horas de voo e 16h de jornada de trabalho caso seja tripulação de revezamento.

A tripulação de revezamento é o número mínimo de tripulantes para realizar o voo definido pelo manual da fabricante e da ANAC, acrescido de 50% dos comissários. Se, por exemplo, a tripulação mínima do A330neo é de 14 tripulantes, sendo 10 comissários, para compor uma de revezamento são necessários 15 comissários de voo.

Pensando nesse limite, a Azul colocou uma nova tripulação em Recife, que cumpre o voo para Lisboa com duração média de 7 horas. Em Portugal, o avião foi rapidamente desembarcado, limpo, abastecido e embarcado novamente para Recife com tempo de solo inferior a 2 horas.

Agora que a aeronave está vindo de volta ao Brasil (clique aqui para acompanhar), quando pousar em Recife a tripulação estará dentro das 14 horas de voo limite (7 da ida e 7 da volta), que somadas com as 2 horas no solo de Portugal irão totalizar 16 horas de jornada.

A330neo é perfeito para a missão

Sarcófago do Airbus A350, similar ao do A330neo

Apesar de não confirmado, diversas pessoas relataram ao AEROIN que o fato do Airbus A330neo ter um crew-rest (famoso sarcófago, que são camas isoladas para descanso exclusivo da tripulação) foi chave para esta operação em Recife.

Segundo estes relatos, os tripulantes da empresa teriam concordado em fazer este voo, que se coloca no limite do tempo da regulamentação, devido à aeronave ter o sarcófago, que permite um descanso melhor quando comparado aos A330-200ceo da companhia, que não possuem sarcófago. No ceo, os tripulantes descansam nos assentos da executiva, que também reclinam totalmente, mas a condição não se compara ao uso da acomodação própria para a tripulação do A330neo.

Murilo Basseto

Formado em Engenharia, foi um dos líderes do Urubus Aerodesign da Unicamp e um dos responsáveis por alçar o grupo à elite mundial da engenharia aeronáutica universitária. Atualmente é Editor-Chefe do AEROIN.

Comentários estão fechados.