Voos da Singapore para ‘lugar nenhum’ recebem crítica e contrapropostas

Receba as notícias em seu celular, clique para acessar o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

Avião Airbus A380 Singapore Airlines
Airbus A380 da Singapore Airlines – Imagem: Damien Aiello / CC BY-SA

Há poucos dias mostramos aqui no AEROIN que a Singapore Airlines (SIA) se tornou a mais recente grande empresa aérea a anunciar que vai entrar no mercado dos voos para “lugar nenhum”, ou seja, viagens que começam e terminam no mesmo aeroporto.

Os voos para “lugar nenhum” se tornaram uma tendência no leste asiático, com outras empresas oferecendo os mais diferenciados pacotes, desde Dia dos Namorados e Festival Qixi até, mais recentemente, os voos do Festival da Lua. Empresas como a Eva Air, China Airlines, StarLux Airlines e All Nippon Airways já transformaram tais voos em algo corriqueiro.

O objetivo da SIA ao entrar na tendência é promover sua marca e gerar alguma receita num momento em que a maioria dos aviões está parada, segundo informou o Straits Times no último dia 11 de setembro.

A ideia inicial, segundo as fontes do jornal, é que o roteiro inclua um voo panorâmico na região de Cingapura, mas que também poderá ser vendido como parte de pacotes com hotéis, vouchers de compras e passeios de balsa ou limusine.

Logo após a ideia ganhar notoriedade no país, entretanto, diversas pessoas mostraram-se contrárias, e passaram então a apresentar contrapropostas para a companhia aérea gerar receita, como, por exemplo, usar um avião no solo para exibir filmes ou para sessões de matchmaking (encontros entre pessoas).

Segundo reporta o Today Online, a resistência à ideia dos voos da Singapore vem principalmente de ambientalistas do grupo Singaporean Neighbourhood Greenwatch.

Melanie Ang, uma das organizadoras do movimento “Save SIA”, disse que estão sendo pensadas maneiras de gerar receita para a companhia aérea sem prejudicar o meio ambiente com emissões desnecessárias de carbono nos voos.

Algumas das propostas do “Save SIA” incluem um tour pela cabine do avião e suas funções, uma experiência gastronômica com o tema da companhia aérea e a venda de créditos da companhia aérea que as pessoas podem usar em futuras viagens.

Ang disse que o recebimento de sugestões será encerrado em 20 de setembro de 2020 e as mais viáveis ​​serão enviadas para a Singapore Airlines.

A SIA, por sua vez, disse que está considerando várias iniciativas, mas ainda não tomou uma decisão. “Gostaríamos de agradecer aos nossos clientes e membros do público por seu interesse e feedback. Como indicado anteriormente, faremos um anúncio no momento apropriado se prosseguirmos com qualquer uma das iniciativas”, disse um porta-voz da companhia aérea.

David Leo, um veterano com 3 décadas na indústria da aviação, disse ao Today Online que lançar a ideia prejudicaria a imagem da SIA em um momento em que há uma maior consciência das questões ambientais. “Não seria bom para a imagem corporativa da SIA, já que a proposta provavelmente atrairá críticas de grupos ambientalmente conscientes e cheira a falta de sinceridade e hipocrisia”, disse ele.

A dura crítica é especialmente verdadeira ao ser analisada sob a luz das promessas feitas pela SIA em seu site, em que fala sobre reduzir sua pegada de carbono através de aeronaves mais eficientes em consumo de combustível e do investimento em combustíveis sustentáveis.

Veja nos links a seguir alguns exemplos das ações semelhantes de outras companhias aéreas. Você é a favor ou contra esses voos?

Receba as notícias em seu celular, clique para acessar o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

Murilo Bassetohttp://www.aeroin.net
Formado em Engenharia Mecânica e Pós-Graduando em Engenharia de Manutenção Aeronáutica, possui mais de 6 anos de experiência na área controle técnico de manutenção aeronáutica.

Veja outras histórias

Comissária de bordo suspensa após comparar quarentena a “campo de concentração”

0
Uma companhia aérea suspendeu uma de suas comissárias após a mesma reclamar de uma quarentena em Hong Kong, afirmando ser um "campo de concentração".