XB-1, supersônico precursor do substituto do Concorde, deve alçar voo ainda em 2018

Supersônico XB-1.

O novo avião supersônico XB-1 está programado para fazer seu primeiro voo de teste ainda em 2018. O CEO da companhia, Blake Scholl, divulgou ao longo da semana em seu twitter que os motores de jato já estavam a caminho do hangar de montagem da aeronave, no Centennial Airport, em Denver, Colorado.




O XB-1 é alimentado por três motores turbojato General Electric J85, alimentados por três entradas supersônicas de geometria variável. Cada motor tem um sistema de bico de geometria variável.

Supersônico XB-1.

O jato XB-1 “Baby Boom”, apesar de voltado para o mercado de jatos pessoais, servirá como um protótipo para aquisição de dados úteis ao projeto dos futuros jatos da passageiro da Boom, que prometem uma velocidade de 2716 km/h – mais de 500 km/h mais rápido do que voava o Concorde. “Estamos construindo o XB-1 para validar tecnologias para o avião de passageiros. Os dados que coletamos dos voos de teste XB-1 nos ajudarão a refinar nosso projeto e engenharia, testar as principais tecnologias supersônicas e garantir eficiência, segurança e confiabilidade”, afirma a companhia em seu site.

Nessa velocidade – sem incluir os horários de decolagem e aterrissagem – um voo de Auckland, na Nova Zelândia, para Los Angeles duraria menos de quatro horas, e para Londres, sem escalas, seis horas e 45 minutos.

Se o avião de 55 assentos da Boom for aprovado, os primeiros passageiros poderão viajar a velocidades supersônicas em todo o mundo até 2023. Eles seriam os primeiros viajantes comerciais a usar o transporte aéreo supersônico desde que o Concorde deixou de funcionar em 2003.

Concepção gráfica da aeronave de 55 lugares da Boom.




Interior da aeronave de 55 lugares da Boom.

A aeronave da Boom não voará apenas mais rápido do que a Concorde, mas espera-se que as passagens custem 75% mais barato, graças à melhor eficiência de combustível. “Com nossas aeronaves de 55 assentos voando a Mach 2.2 você chegará na metade do tempo por aproximadamente a mesma tarifa que a classe executiva de hoje”, diz o site da empresa.

A Boom confirmou que a Virgin Galactic e a Japan Airlines irão operar a aeronave, com a Japan Airlines investindo US$ 10 milhões em dezembro de 2017.

Cinco empresas aéreas estão interessadas em comprar 76 unidades do modelo de 55 assentos da Boom, mas elas não foram divulgadas.

Murilo Basseto

Formado em Engenharia, foi um dos líderes do Urubus Aerodesign da Unicamp e um dos responsáveis por alçar o grupo à elite mundial da engenharia aeronáutica universitária. Atualmente é Editor-Chefe do AEROIN.